Como planejar uma pesquisa de campanha eleitoral?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Nas eleições de 2014, ao colocar os números nas urnas, os cidadãos brasileiros estavam escolhendo um representante para cada cargo público dentre mais de 24 mil nomes disponíveis.

Sim: foram onze candidatos à presidência, 171 a governador, 181 a senador, além de mais de seis mil a deputado federal e 17 mil a estadual ou distrital. Pode respirar: é gente pra caramba.

E não há nenhum movimento que indique que esses números baixem nos próximos pleitos, incluindo os de 2018. Isso significa que, se você quer concorrer a um cargo público esse ano, melhor caprichar na sua campanha eleitoral. Afinal, na hora da urna, o eleitor precisa ter decorado seu nome e número para computar o voto de maneira correta.

Para que você se destaque e seja topo na preferência de pesquisas eleitorais, separamos algumas dicas de como conduzir um questionário dessa magnitude. Lembre-se que as perguntas devem ser assertivas e o público respondente bem delineado, uma vez que é o resultado das pesquisas eleitorais o responsável por fazer com que a sua campanha tenha uma boa estratégia de marketing.

#1 Monte uma boa equipe

Não adianta: ninguém ganha uma campanha eleitoral sozinho. Para fazer sucesso e ficar na cabeça do eleitor é necessário ter uma boa equipe, que faça toda a administração da campanha, pense as questões da pesquisa eleitoral e faça as análises corretas para transformar os dados em ação.

Sem isso é praticamente impossível chegar às casas das pessoas, mesmo que sua proposta de governo seja incrível e inovadora.

#2 Inove nas perguntas da pesquisa

O personagem House é um médico de uma série americana que esteve no ar entre 2004 e 2012, cujo principal bordão era: “todo mundo mente”. Se isso era dito em um programa sobre medicina, imagine o quanto pode ser verdade para uma campanha eleitoral…

Por isso, ao fazer suas pesquisas de campanha eleitoral, leve em consideração esse viés e tente inovar nas perguntas. Ao invés de questionar, por exemplo, em quem o fulano vai votar, pergunte em quem ele acha que os outros vão votar. Quando bem feita, esse tipo de pergunta consegue captar o desejo oculto atrás da resposta do entrevistado.

Esse tipo de pesquisa, que promove o “pitaco” na vida alheia, foi testada nos Estados Unidos e já deu resultados até 21% mais corretos do que em relação a perguntar esperando uma resposta pessoal. Lembre-se: todo mundo mente – mas, também, adora pensar sobre o que os outros estão pensando.

#3 Use aparatos tecnológicos

Ter uma boa equipe é crucial para o sucesso da campanha política, mas não adianta colocá-la sempre à exaustão para analisar dados. Nesse caso, ter boas ferramentas de gerenciamento de campanha é uma maneira inteligente de extrair o melhor de cada pessoa.

A pesquisa é parte essencial da campanha política e não pode ser deixada de lado. Para entender o que pensa o eleitorado de maneira prática, rápida e com dados quase imediatos, utilize softwares de pesquisa que façam o direcionamento dos dados para os principais interessados em colhê-los e transformá-los em marketing.

Se quiser saber mais sobre como os softwares de pesquisa podem ser de grande ajuda em uma campanha eleitoral, vale com a gente. Nós, da Data Goal, temos a melhor e mais completa solução do mercado para te ajudar a planejar, executar e estudar sua pesquisa de campanha eleitoral de maneira simples e intuitiva.

Com a pesquisa online esses passos que citamos aqui serão só os três primeiros de uma campanha extremamente focada e com grandes chances de sair vencedora. Só depende de você investir em ouvir o que o público tem a dizer.