Coleta de dados por entrevista: quando e como usar

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Dentre as diversas formas de realizar a coleta de dados, a entrevista é uma das que merece mais destaque, tanto por sua funcionalidade quanto eficiência. Essa técnica consiste no contato direto entre o pesquisador e a pessoa que participa como respondente do estudo, tornando possível a interação sem interrupções entre os dois pontos da pesquisa. 

Assim, faz-se necessário, para a coleta de dados por entrevista, um planejamento cauteloso e detalhado, com o objetivo de que a aplicação da técnica garanta os resultados esperados. 

Além disso, a elaboração das perguntas deve ser feita de forma ponderada para evitar interpretações equivocadas, como um tom ofensivo ou invasivo, pela pessoa que está respondendo.

Esse método de coleta permite, também, flexibilidade no modelo escolhido, uma vez que as entrevistas podem ter estrutura fixa ou serem semi-estruturadas. Nessa última, o pesquisador possui mais liberdade para questionar seu entrevistado, variando os rumos das perguntas de acordo com o teor de cada resposta. 

Como planejar uma entrevista

Planejamento é a palavra-chave para realizar uma boa entrevista. É necessário que o pesquisador fique atento à ordem das perguntas para que um questionamento possa conduzir naturalmente o próximo, mantendo uma boa ordem cronológica e contextualização para o entrevistado.

Além disso, é preciso eliminar da lista de perguntas as que se assemelham, para evitar respostas idênticas ou similares que possam dificultar a análise de resultados da pesquisa. Então, certifique-se de que as palavras escolhidas permitem uma interpretação correta.

Outro fator que deve ser levado em consideração é o tamanho da entrevista. No caso de pesquisas eleitorais, por exemplo, o número de pessoas entrevistadas tende a ser grande. Então, o ideal é que a entrevista possua poucas perguntas, que possam ser respondidas de forma simples e direta.

Porém, se existir a necessidade de uma entrevista mais robusta, o pesquisador deve selecionar poucos entrevistados, mas que sejam ideais para responder todo o formulário. Assim, evita-se o acúmulo de material a ser processado.

Mas, enfim, quais são as vantagens da coleta de dados por entrevista? Essa é fácil: além de ser uma ferramenta absurdamente versátil, a entrevista pode auxiliar o pesquisador na compreensão de vários fenômenos sociais que envolvem o estudo em questão.

Outras vantagens da entrevistas são:

Visualização de dados

As entrevistas permitem a melhor visualização do contraste existente entre grupos populacionais. Para esse tipo de estudo, é indicado que o dono da pesquisa anote dados como sexo, classe social e escolaridade, por exemplo. Após essa classificação, fica mais fácil separar os grupos e compreender as diferenças.

Compreensão dos fatos

Em caso de entrevistas de opinião, a principal vantagem de conduzir esse método de coleta é compreender como as pessoas entendem determinados fatos ou ocasiões. Assim, ela pode servir para entender campanhas e leis, entre outros fatores.

Desenvolvimento de melhorias

A depender do objetivo da coleta de dados por entrevista, o método também podem ser uma boa maneira de executar melhorias no contexto estudado. Por exemplo: ao fazer uma entrevista com funcionários de uma empresa, é possível entender a organização e comunicação existente e fazer correções que as tornem mais eficientes no ambiente corporativo.

É válido dizer que, apesar de uma entrevista mais livre permitir a exploração de rumos inesperados e expandir o conhecimento, uma entrevista estruturada sólida vai facilitar que as respostas se transformem em estatísticas, estendendo a utilidade das entrevistas.

Como montar uma coleta de dados por entrevista? 

Uma entrevista para fazer coleta de dados em campo pode ser feita de forma manual, embora não seja esse o meio mais indicado. Com o avanço da tecnologia, existem formas melhores de explorar as informações coletadas. Uma delas é a automatização do processo de coleta, que facilita a realização do processo através da construção de formulários digitais.

Uma das principais vantagens de escolher softwares para coletar dados é a redução de custos. Além disso, com a criação de um formulário digital, as chances de erros humanos caem drasticamente. 

Para facilitar a construção de formulários, a tecnologia está a favor dos investigadores. Algumas ferramentas permitem que o usuário tenha acesso a plataformas que realizam a coleta e análise dos dados de forma ampla e automatizada.

O uso de sistemas inovadores melhora a experiência dos respondentes, já que eles podem agrupar, de um jeito preciso e organizado, todos os dados, independentemente de seu formato. Ou seja, um software de coleta de dados tem a capacidade de arquivar não só documentos, mas fotos, áudios e muitos outros recursos utilizados em entrevistas. 

No software desenvolvido pela Data Goal, além de todas essas funcionalidades, o software também conta com o registro das coordenadas geográficas. Esse recurso permite que os dados fiquem armazenados de forma segura na nuvem, garantindo sua veracidade. Ah, e a coleta pode ser feita de forma offline.

Quer ter a ferramenta perfeita para sua pesquisa através da solução para criação de formulários de pesquisa em campo? Nossa interface amigável permite que o coordenador do estudo faça alterações sempre que achar necessário, sem precisar da ajuda de um especialista em sistemas. 

Se tiver alguma dúvida sobre como melhorar sua próxima coleta de dados por entrevista, entre em contato com a Data Goal.