Dicas de Marketing Pessoal para Políticos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Você já deve ter ouvido o velho ditado: “quem não é visto, não é lembrado”. É bom se lembrar: a frase é uma das máximas do Marketing Pessoal para políticos. Porém, se engana quem pensa que apenas ser visto é o suficiente para ter um marketing pessoal brilhante. 

Existem uma série de fatores que devem ser considerados e estruturados para que você possa ter de fato o efeito esperado. Antes de nos aprofundarmos em questões técnicas e práticas, temos que entender o conceito. Compreender sobre o que estamos falando é essencial para que possamos atingir a excelência.

Construímos neste artigo um guia completo sobre Marketing Pessoal para políticos, do conceito a dicas para elaborar a sua estratégia.

Boa leitura!

O que é Marketing Pessoal?

Marketing Pessoal é um conjunto de estratégias, aplicadas de maneira coerente e planejada, que irão atribuir valor à uma imagem. Ou seja, é um marketing voltado para que o público veja uma determinada pessoa com uma imagem positiva. 

Essa estratégia trabalha com diversos conceitos e técnicas (como produção de conteúdo e posicionamento), de modo a criar uma figura notável e de autoridade. A técnica também explora características como as habilidades de um trabalhador, suas experiências, sua capacidade de fazer networking e de promover a sua atuação em novos canais como as redes sociais.

Qual é a importância do Marketing Pessoal para políticos?

Dois dos principais teóricos do marketing, Philip Kotler e Kevin Lane Keller, já diziam: “o Marketing Pessoal está por toda a parte. Formal ou informal, pessoas e organizações envolvem-se em um grande número de atividades que poderiam ser chamadas de marketing”.

O termo e todas as estratégias visam promover algo – uma ideia, produto, serviço, empresa, negócio e até mesmo uma pessoa. E é justamente aí que surge o conceito de Marketing Pessoal para políticos.

O Marketing Pessoal vai de encontro com ideias que pretendem expor todos os valores do político com os quais o eleitorado possa se identificar. No entanto, isso requer uma série de estratégias e um planejamento bem elaborado.

Com o advento da web, todos os parâmetros de construção, solidificação e manutenção da imagem pessoal são reconfigurados. Graças ao poder de viralização que a internet confere aos mais diversos tipos de conteúdo, todo um contexto positivo construído por anos pode ir por água abaixo em questão de horas. O contrário também acontece. Grandes ícones políticos podem surgir da noite para o dia. 

Dicas de como se comportar na Internet

1) Venda sua imagem 

A fotografia será o recurso com maior alcance, principalmente em uma campanha eleitoral, estampada em praticamente todas as peças de divulgação: postagens, site, imagens de perfil das redes sociais e de outras mídias, como outdoor, santinhos e a TV.

As fotos devem possuir ótima resolução. Isso será facilmente garantido com o trabalho de um bom fotógrafo, que terá os equipamentos e técnicas para assegurar o melhor resultado, com os ângulos e iluminação corretos, além da edição das imagens.

Fotografias que transmitem um momento de descontração também são bem-vindas em ações de Marketing Pessoal para campanha política, mas devem ser deixadas para ocasiões e plataformas oportunas. Para isso, use o feed ou os stories do Instagram.

Crie vídeos curtos ou publique imagens nos stories (disponíveis por no máximo 24 horas) em momentos de espontaneidade com a família ou os amigos para mostrar ao público que o candidato também é uma pessoa comum.

2) Comunicação é a alma do negócio

A característica mais marcante do candidato político é saber falar bem. Esse é o segredo que faz com que até mesmo pessoas tímidas possam ser bons políticos.

No entanto, poucas pessoas possuem essa habilidade naturalmente. Isso não é um problema, já que dominar a arte da oratória é uma aptidão que pode ser adquirida e aprimorada. Existem várias técnicas para melhorar a prática, além de cursos específicos.

Possuir uma boa comunicação não significa ter uma fala rebuscada. Muito pelo contrário: significa ser bem entendido pelo maior número de pessoas. Está relacionado à simplicidade, falar corretamente, mas sem “enfeitar” demais.

3) Relacionamentos sólidos

Um político precisa do eleitorado ao seu lado se pretende ter força necessária para tocar seus projetos, seja como um membro do Legislativo ou do Executivo. Por isso mesmo, é preciso se aproximar das pessoas e criar um sentimento de comunhão entre elas.

Se no passado a única maneira de fazer isso era através do ativismo e da militância, hoje é possível atingir o mesmo resultado de outras maneiras. Com a popularização das redes sociais, uma das ferramentas mais utilizadas para o marketing político é a criação de grupos. Mídias como o Facebook e o WhatsApp permitem que vários usuários se reúnam para debater e conversar sobre assuntos do seu interessante.

O networking é essencial na construção de uma carreira. Se este não é o seu forte, é possível aperfeiçoar e desenvolver essa característica, com a orientação e ajuda de um coach ou consultor especializado na área de relacionamento interpessoal. Profissionais podem ajudar a achar a melhor maneira de encontrar a chave da auto superação.

O Marketing Pessoal para políticos e a construção de uma boa imagem pública deve ser uma das prioridades de um bom trabalho. Afinal, é a confiança e segurança transmitidas que garantem, não só o voto dos eleitores e a manutenção do mandato, mas também o apoio de aliados no financiamento de projetos e da própria campanha.

4) Marca registrada

As bandeiras levantadas pelo candidato também devem ser condizentes com o seu público-alvo. Um candidato que tem muitos eleitores no meio acadêmico, por exemplo, deverá ser reconhecido por lutar pela Educação. Os principais temas abordados antes e durante a campanha, portanto, devem ser definidos a partir das queixas dos eleitores.

Alguns querem ser reconhecidos pelo eleitorado como um representante da Saúde, de determinada religião ou de proteção animal e ambiental. Enquanto isso, outros querem ser vistos como entendedores da Economia ou representantes das minorias.

Seja qual for a marca desejada, o marketing pode ajudar a construir a percepção do eleitorado. Para fazer isso, os profissionais de Marketing Pessoal precisam aplicar técnicas de branding, que nada mais é do que posicionar a oferta na mente do cliente e que se assemelham àquelas utilizadas por empresas como a Nike, Apple ou Coca-Cola, por exemplo.O que achou das dicas? Realizar o Marketing Pessoal para políticos não é uma tarefa tão simples, mas trará resultados surpreendentes. Continue lendo mais sobre o assunto no nosso blog.