Pesquisa eleitoral: como fazer a análise dos dados coletados?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Em época de eleição, as empresas e institutos de pesquisa eleitoral devem estar atentos às informações vindas do campo. Elas servem para uma infinidade de interpretações capazes de balizar a campanha do candidato.

O fato é que, ao aplicar o questionário, uma série de dados é coletada. Seu objetivo principal é conhecer a intenção de voto e as chances que o candidato tem de vencer o pleito.

Para que os resultados sejam confiáveis, é muito importante que as informações coletadas estejam dentro de uma metodologia viável – e a amostra represente fielmente a população de determinado território.

A importância da coleta de dados em uma pesquisa eleitoral

Pesquisa eleitoral é um instrumento prioritário de políticos e partidos que pretendem mapear as necessidades da comunidade e construir o discurso em cima de dados factíveis e interessantes ao eleitorado. 

Por isso, ela deve ser planejada de forma tática e conduzida com didática para que seus resultados apontem para as questões que de fato norteiam a campanha eleitoral. Assim, nenhum grupo social e região geográfica de interesse do candidato devem ser deixados de lado durante a definição da amostra, pois ela é a base que vai definir o andamento da campanha eleitoral.

Mesmo abrangendo todo o universo da pesquisa é aceitável uma variação de erro, tanto para mais quanto para menos. Isso acontece porque a pesquisa eleitoral precisa estabelecer um intervalo de confiança. Ou seja, se for 95%, significa que a pesquisa for repetida 100 vezes, em 95 o resultado deve ficar dentro da margem de erro.

Contudo, há quem ainda duvide das pesquisas eleitorais, argumentando ser uma grande perda de tempo. Mas isso não é verdade!

Quem se envereda pelo caminho da política, mas quer conduzir a campanha eleitoral sem pesquisa, pode estar dando um tiro no escuro. Afinal, ela é instrumento fundamental para qualquer tomada de decisão.

Quem trabalha com marketing político sabe que a campanha precisa estar amparada em dados reais, tanto quantitativos quanto qualitativos. A partir dessas informações, se define a postura do candidato, temas para discussão e discursos voltados para os anseios da população.

Como entender os resultados

A pesquisa eleitoral é instrumento indispensável no contexto político e a sua análise correta pode decidir os rumos da campanha do candidato. 

Funciona assim: os questionários aplicados à população contam com uma série perguntas relevantes para o momento e que vão gerar diferentes índices de resultados. Então, é só pegar esses valores e analisar de acordo com o contexto. 

Contudo, para se chegar a esses números, é preciso transformar as respostas qualitativas em quantitativas para se obter um percentual comparativo. Por exemplo: 20% rejeitam o candidato X ou 80% dos entrevistados da região Y indicam a segurança como o maior problema da cidade.

Quando a pesquisa é realizada da maneira tradicional, você vai precisar de mais tempo, dinheiro e uma equipe treinada para fazer isso. Mas, com o desenvolvimento das plataformas digitais, tudo ficou mais rápido e barato.  Hoje é possível fazer qualquer pesquisa eleitoral com o apoio de aplicativos específicos para essa finalidade, como o da Data Goal.

Com ele, a equipe do candidato monta o questionário completo que contempla informações que deem aos pesquisadores a oportunidade de avaliar a satisfação quanto à administração pública, prever a intenção de voto e entender a reputação de um candidato.

Isso tudo pode ser feito sem precisar sair do escritório ou sem demandar uma equipe robusta em campo. Basta montar o questionário, determinar a amostra e enviar por e-mail ou redes sociais.

A interpretação dos dados é bem mais simples e não necessita de time específico para isso, pois o sistema tabula as informações automaticamente, de forma eficiente e confiável.

Como o software Data Goal pode te ajudar?

O software Data Goal avança no uso da tecnologia em prol dos pleitos mais factíveis, pois contempla em seu sistema os seguintes diferenciais.

  • Aplicação de pesquisa em modo offline;
  • Atuação na parte tecnológica das pesquisas eleitorais;
  • Possibilita a retirada de resultados parciais com os pesquisadores ainda em campo;
  • Banco de dados para produção do relatório final no mesmo dia;
  • Recurso de combate a fraude com gestão de equipes de pesquisa;
  • Monitoramento da localização das coletas por GPS;
  • Indicadores de produtividade média individual e de equipes.

    Se você ficou interessado no nosso aplicativo, saiba que a Data Goal pode te ajudar no desempenho da sua campanha eleitoral. Entre em nossa página e conheça mais sobre essa tecnologia.