Pesquisa Social: não cometa esses erros!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

A pesquisa social é uma modalidade que investiga fatores que determinam ou contribuem para algum fenômeno específico –por exemplo, entender o aumento da violência contra a mulher

Através de uma série de perguntas e peculiaridades, como nível de escolaridade, idade e sexo, é possível conhecer em profundidade a realidade de grupos e sua relação com os mecanismos públicos, privados e instituições que tenham ações na região.

Nesse sentido, diferentes grupos socioeconômicos que pertencem a territórios distintos podem fazer parte da pesquisa social. O problema a ser investigado pode ser qualquer assunto que visa entender o comportamento das pessoas e da sociedade.

No entanto, alguns erros na coleta de dados podem gerar sérias inconsistências nos resultados da pesquisa social, dificultando uma análise plausível da realidade.

Aqui, listamos os erros que você não pode cometer se não quer inviabilizar a própria pesquisa.

Ter objetivos mal definidos

Qual é o problema que te incomoda? O que pretende descobrir?  

Iniciar uma pesquisa social sem um objetivo bem definido pode ser um tiro no escuro. Você vai gastar tempo, dinheiro e ficar dando voltas sem saber onde quer chegar.

A eficiência de uma pesquisa depende muito da delimitação do tema e o que o pesquisador quer saber sobre ele. A partir daí é possível seguir para os próximos passos.

Linguagem inapropriada

Um erro que pode comprometer a compreensão da pesquisa social é a utilização de linguagem inadequada, como termos técnicos, científicos ou jargões. O ideal é se colocar no lugar do entrevistado e elaborar conteúdo que se adapte ao público mapeado. 

Questionário mal elaborado

Ao montar o questionário, as perguntas devem ser claras, simples e imparciais, evitando as perguntas tendenciosas. Quando se coloca inquéritos que levam a juízos de valor, podem ocorrer duas situações: a pesquisa pode ofender o entrevistado ou obter respostas manipuladas, que não refletem a realidade daquela amostra.

Outro problema bastante comum nas pesquisas sociais são questionários muito longos. Isso gera insatisfação no entrevistado, pois ele tem a sensação de perda de tempo – e pode acabar respondendo às perguntas de forma superficial. 

O ideal é analisar a necessidade e relevância das perguntas e deixá-las tão objetivas quanto possível.

Amostra muito pequena

Se o objetivo é saber as características da população da região X, o pesquisador não vai abordar todas as pessoas que moram naquele lugar, certo? Isso é impraticável e desnecessário.  

É possível coletar dados utilizando amostras de uma parte representativa do público a ser pesquisado. Essa pequena parcela vai garantir que os resultados obtidos nas entrevistas tenham validade e possam ser projetados para o universo total.

É a partir da amostra que você vai saber a margem de erro da pesquisa. Se esse número for muito pequeno, pode significar que a margem de erro vai ser alto, desqualificando a pesquisa.

Hoje em dia existem ferramentas que ajudam a calcular a amostragem de acordo com o tamanho da população e quantidades de entrevistas.

Análise incorreta dos dados

Após todo o trabalho de preparar formulários e realizar as entrevistas, a pesquisa pode ser prejudicada pela incorreta análise dos dados. Essa é uma das fases mais importantes do processo, já que as tomadas de decisão são feitas a partir da análise.

Para obter a análise correta dos dados é preciso separar os questionários, cruzar os dados e analisar cada informação de forma individual. Assim, é possível ter uma visualização mais clara do estudo.

Não usar aplicativo de pesquisa

Se sua empresa coleta dados de forma convencional, as chances de erros na pesquisa social são enormes. 

Na hora de fazer a entrevista, o pesquisador pode se distrair com alguma coisa e anotar a resposta incompleta, o público contemplado na amostra pode não estar disponível e a compilação das informações realizada em planilha eletrônica tende a conter muitas inconsistências.

O ideal é realizar a pesquisa social via aplicativo, como o do sistema Data Goal. Muito mais fácil, rápido e onera bem menos no orçamento da empresa, sendo acessível a empresas privadas e órgãos governamentais o recurso de gestão das equipes de campo. Assim, a organização entra em contato com o time e a ferramenta auxilia os pesquisadores para que façam a condução da entrevista de forma correta.

Outro ponto que se torna um gargalo nesse tipo de estudo, e que é limado pelo aplicativo, é a digitação das pesquisas, atrasando a entrega dos resultados. Com o sistema Data Goal isso passa a não ser problema, pois o software não demanda digitadores ou analistas para inserir e compilar os dados no sistema. 

Tudo é feito automaticamente, gerando confiabilidade, agilidade e menor custo.

Quer saber como funciona o sistema? Entre no nosso site e saiba mais sobre o aplicativo Data Goal para pesquisa social