Política pública: como fazer as parcerias certas através do IGP

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Na gestão pública, as parcerias são estratégicas para o desenvolvimento de boa política pública. Em meio a tantas informações, porém, pode ser difícil entender como fazer as melhores parcerias para o andamento do trabalho.

As parcerias, na gestão pública, são importantes para o alinhamento dos projetos e para o andamento da política pública. Alguns cuidados, porém, são necessários na hora de se formar parcerias.

Com o que é necessário se preocupar na hora de fazer parcerias?

As parcerias para política pública precisam ser feitas de maneira estratégica. Entender quais são os objetivos principais da conexão, como ela pode se dar de maneira estratégica e como pode beneficiar os projetos em andamento é de suma importância para o alcance de bons resultados.

Em período eleitoral, as parcerias são ainda mais importantes, já que a visibilidade conseguida nesse período pode fortalecer a campanha e a gestão e as parcerias podem somar forças em objetivos comuns. 

Além disso, é importante que as parcerias sejam apenas um complemento em relação a gestão. Elas devem somar aos esforços dos gestores, fortalecendo os pontos fortes e atuando nos pontos fracos, para que a política pública seja a melhor possível.

Compreender tudo isso, porém, não é tão simples. Ter acesso a essas informações de forma sistematizada e objetiva é imprescindível, e pode ajudar muito na formação de parcerias em período pré eleitoral.

Como o IGP ajuda a formar parcerias?

A Solução Completa de Inteligência para Gestão Pública (I.G.P) da Data Goal é uma ferramenta feita através de uma metodologia de pesquisa eficiente e um sistema de avaliação. 

Com o IGP, o candidato consegue analisar o histórico de decisões tomadas por possíveis parcerias e avaliar se é estratégico para a gestão manter essa conexão ou não.

Por meio de uma metodologia P.D.C.A (Plan, DO, Check, Act), a gestão consegue identificar  os pontos de melhoria em projetos e programas voltados à população, como também identificar como os problemas devem ser resolvidos.

O método é composto por 4 passos:

  1. Planejamento
  2. Execução
  3. Checagem
  4. Correção.

Como usar o IGP para parcerias de política pública? 

O sistema de avaliação do I.G.P também permite avaliar a viabilidade de projetos em médio e longo prazo. Além disso, permite à gestão identificar e avaliar os resultados percebidos de programas e iniciativas de gestões passadas.

Com esse diagnóstico, é possível analisar quais parcerias fazem ou não sentido para a gestão atual e se preparar para períodos eleitorais. 

O IGP também permite entender os reais impactos das ações da gestão sob a comunidade. Isso é importante na hora de fazer as parcerias de política pública porque é possível compreender as necessidades da população e em quais objetivos e metas a gestão deve se concentrar.

A partir disso, os gestores podem buscar parcerias que se alinhem com os objetivos da gestão, mas sem esquecer de visar as necessidades e desejos da população. Afinal, é para o público que a gestão trabalha com política pública.  

Para continuar visando a melhoria da gestão, você pode contar com o I.G.P. Fale com um de nossos especialistas agora!