Coleta de dados: 4 dicas para fazer um trabalho mais eficiente

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Realizar um trabalho de coleta de dados não é tarefa fácil. Infelizmente ainda existem gestores que pensam que, para resolver um problema na empresa, basta formular algumas perguntas, enviar para algumas pessoas e pronto; é só tomar algumas ações baseadas nas respostas que tudo fica resolvido.

Não é assim que as coisas funcionam! Existe todo um processo para elaborar uma pesquisa séria, que vai desde o planejamento, definição da metodologia e escolha da amostra até chegar no resultado. Uma das fases mais importantes na pesquisa é a coleta de dados. Quando bem feita, ela é capaz de trazer resultados significativos para a empresa.

O que é coleta de dados

A coleta de dados é a captação de informações voltadas a um determinado problema, permitindo que a organização conheça com mais veracidade a percepção do entrevistado a respeito do tema.

Vamos a um exemplo: uma indústria localizada no interior quer entender quais impactos tem trazido para a comunidade. Com base em uma pesquisa bem planejada, é realizada a coleta de dados com o público definido na amostra.

É nesse momento que se estabelece um contato mais direto com o entrevistado, de maneira a recolher informações e impressões a respeito da indústria e suas ações no município. Com isso, a organização pode rever suas estratégias, alterar padrões de conduta, planejar campanhas ou implementar contrapartidas sociais.

Dessa maneira, uma coleta de dados eficiente é capaz de extrair informações valiosas de seu universo de estudo, a ponto de facilitar a tomada de decisão estratégica para os mais variados mercados.

Como fazer uma coleta de dados eficiente

A coleta de dados é um momento sensível da pesquisa. As perguntas devem ser bem formuladas para não dar dupla interpretação e o entrevistador deve estar atento para evitar distorções e influência nas respostas.

Para garantir que o resultado seja o reflexo do pensamento do público pesquisado, daremos 4 dicas que vão otimizar a eficiência da sua coleta de dados: 

1 – Montagem do questionário

Quando falamos em questionário, logo pensamos nos entrevistadores com uma prancheta e uma caneta para preenchê-lo com as respostas que as pessoas fornecem. Mas essa não é a melhor opção para coleta de dados, por vários motivos: interpretação errada por parte do entrevistador, fraude na apuração de dados ou até a aplicação do questionário em um grupo errado.

Atualmente, existem formas automatizadas de realizar esse processo. A escolha do formulário digital, como o Data Goal, pode trazer uma série de benefícios, como redução de custos, otimização da equipe e também de equipamentos. Sem contar que as chances de erros humanos são bem menores.

Alguns softwares de pesquisa permitem a criação de questionários, uma maneira inovadora de melhorar a experiência do respondente, já que a ferramenta agrupa de maneira precisa e organizada todos os dados, sejam eles fotos, documentos ou respostas em texto.

2 – Utilizar o sistema de coleta offline

O sistema de coleta de dados offline é um recurso de pesquisa que não necessita da conexão com a internet para registrar as respostas eletronicamente. Para tanto, antes de ir a campo, o pesquisador baixa o questionário do sistema no tablet ou smartphone, realiza a pesquisa e, ao final, conecta-se à internet novamente para compilar os dados.

Qual a vantagem de usar esse recurso? Ele oferece a possibilidade de coletar dados de forma dinâmica, sem a obrigatoriedade de estar conectado, em virtude de lugares terem o sinal fraco de internet, como zona rural, eventos, lojas, feiras, cursos ou até mesmo na rua.

Com o sistema offline não há desculpa para a pesquisa não ser realizada. Afinal,    ele pode ser inserido em qualquer dispositivo e enviado para o campo, inclusive utilizando o Google Play para baixar, aumentando assim a eficiência da coleta de dados.

3 – Tenha o controle nas suas mãos

A utilização de um aplicativo de pesquisa, como o desenvolvido pela Data Goal,  permite que você tenha o controle da situação. Nele, os formulários são descritos pela própria empresa, mas contam com acompanhamento integral da Data Goal para condução e resolução das coletas.

Com isso, o responsável pode criar  os formulários e distribuí-los de forma dinâmica entre os participantes ou pesquisadores que estão em campo.

4 –  Monitoramento por GPS

Contar com a tecnologia traz muito mais segurança para a pesquisa. Um bom software monitora a localização das coletas por GPS, identificando se as informações estão sendo recolhidas no local definido.

O sistema Data Goal possui várias funcionalidades para a coleta e análise de dados eficiente. Para conhecer melhor as soluções disponíveis, te convidamos a acessar o nosso  site e entrar em contato com a nossa equipe.